politica 09/09/2015 às 16:01

Fronteiras abertas: governo do PT expõe o Sul à bandidagem

Desde a ascensão de Luís Inácio Lula da Silva (PT) ao poder em 2003, as fronteiras tem sido entregues ao Deus dará.

Uma extensão de 2.393 quilômetros. Um universo de 418 municípios. Este é o tamanho do envolvimento do Sul do país com os vizinhos sul-americanos do Paraguai, Argentina e Uruguai. Com uma política séria de integração e segurança, isso poderia representar uma grande vantagem competitiva para a região, principalmente considerando que o Brasil é praticamente refém do Mercosul no quê se refere ao comércio internacional. Acontece que esta não é a realidade.

 

Desde a ascensão de Luís Inácio Lula da Silva (PT) ao poder, as fronteiras tem sido entregues ao Deus dará. Dilma Rousseff (PT), logo em seu começo de mandato, anunciou um ambicioso Plano de Fronteiras. O resultado é nulo. O quê inclusive motivará uma representação do ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União, ao Executivo Federal.

 

A realidade é dura. Tráfico de drogas, de armas e até mesmo de pessoas é o corriqueiro nas fronteiras dos três estados do Sul. Tantas atividades criminosas de caráter internacional acabam gerando um efeito perverso: a violência se espalha em toda a região. Semana passada um esquema de tráfico de prostitutas paraguaias foi desbaratado na Grande Florianópolis.

 

Um curto lampejo de atuação nas fronteiras foi visto na época da Copa do Mundo, mas ficou isolado à Foz do Iguaçu, ignorando a imensidão da região (na foto).

 

CRIMINALIDADE DIÁRIA

 

Cargas e mais cargas de drogas circulam livremente na fronteira dos três estados da região sul. Especialistas apontam: o grande tráfico acaba estabelecendo uma rede varegista pelo caminho, para baratear custos e melhorar a logística. O desdobramento é conhecido: homicídios, estupros, sequestros, assassinatos, furtos e roubos.

 

A situação já chegou ao cúmulo de a Bolívia legalizar carros roubados no Brasil. O que gera um lucrativo comércio de roubos de automóveis: o automóvel é furtado, passa pelo Paraguai, entra na Bolívia, é legalizado e por fim faz o caminho de volta. 

 

Contribuindo com 16,3% do Produto Interno Bruto, a região não vê os impostos que arrecada voltarem na forma de serviços. Vale ressaltar que além da importância geopolítica da região fronteiriça, temos ainda a hidroelétrica de Itaipu em sociedade com o Paraguai, a maior geradora de energia hidroelétrica do mundo.

 

AS FRONTEIRAS DA REGIÃO SUL EM KM

 

Paraná: 447 km de fronteiras.

Santa Catarina: 246 km de fronteiras.

Rio Grande do Sul: 1.700 km de fronteiras.

Total: 2.293 quilômetros.

 

MUNICÍPIOS QUE FAZEM FRONTEIRA NA REGIÃO SUL

 

Paraná - 139.

Santa Catarina: 82.

Rio Grande do Sul: 197.

TOTAL: 418 municípios.

Notícias Relacionadas