19/10/2016 às 17:55 - Atualizado em 20/10/2016 às 13:51

Madonna, a moralíssima!

Mais uma vez a famigerada hipocrisia da esquerda americana (não que as demais não a sejam) escancara-se. A cantora Madonna, uma das muitas artistas apoiadoras do partido Democrata e entusiasta de Hillary Clinton que execrou Donald Trump por suas conversas de boteco e até fez uma piñata do empresário para o aniversário de um de seus filhos, ofereceu sexo oral em troca de votos para a candidata democrata. Isso mesmo. Sexo oral.

Isso aconteceu no show no Madison Square Garden da comediante (e também democrata) Amy Schumer, no qual Madonna fez um pequeno stand up de abertura. No último final de semana, cerca de 200 pessoas abandonaram o show de Schumer quando ela atacou o candidato republicano como sendo um "estuprador laranja" entre outros adjetivos nada meritórios.

“If you vote for Hillary Clinton, I will give you a blowjob. And I’m good. I’m not a douche and I’m not a tool. I take my time. I have a lot of eye contact. And I do swallow.” - Se vocês votarem em Hillary Clinton, eu os darei um b**uete. E eu sou boa. Eu não sou uma ducha e eu não sou uma ferr engulo.amenta. Eu levo o meu tempo necessário. Eu tenho bastante contato visual. E eu engulo.

Provavelmente isso foi uma brincadeira da cantora, que sempre apreciou os discursos erótico e pornográfico em seu trabalho. Contudo, não deixa de ser curioso (e hipócrita) que alguém tão escandalizada com as palavras de dez anos atrás de Trump e que o classifica como misógino, "pregador de discurso de estupro" e "pregador de discurso objetificante da mulher" ofereça-se ao grande público de maneira tão explícita a fim de angariar votos para sua candidata. O discurso de Madonna, que corrobora meu texto da última segunda-feira sobre a hipocrisia dos apoiadores de Hillary, soa-me, particularmente, muito mais depreciativo que o de Trump. Mas eis a esquerda feminista na característica máxima que a define: hipocrisia.