LAURO TENTARDINI
Jornalista e radialista. Editor de Esportes do Sul Connection. Cobriu dupla Grenal, seleção brasileira, sul-americano de vôlei, Jogos Mundiais Militares e outros. Assessor do Kindermann, campeão da Copa do Brasil de Futebol Feminino. Tratará aqui dos principais assuntos esportivos, com foco no sul do país, mas também jogos olímpicos, seleção brasileira e Fórmula 1.

19/10/2015 às 22:33

A estranha tentativa da CBF de barrar a Liga Sul-Minas-Rio

É muito esquisito que a CBF tente, após ter dado aval, barrar a realização da Liga Sul-Minas-Rio. Oficialmente é alegado que haveria a necessidade de aprovação da competição numa assembleia geral, o que teria sido definido após ofício encaminhado pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro.

 

A Copa do Nordeste, semelhante à Sul-Minas-Rio, não precisou de assembleia para ser aprovada. Além disso, como todos sabem, o presidente da FFERJ, Rubinho, é muito próximo de Eurico Miranda, que declarou na última semana, uma guerra contra a Federação Catarinense de Futebol.

 

Eurico Miranda, na ocasião, afirmou que haveria uma máfia do apito para favorecer a Federação Catarinense de Futebol. Isso em razão de que Eurico se acostumou em ser "ajudado" pelos simpáticos árbitros da FFERJ e por seu amigo Rubbinho. Ambos, agora, tentam barrar a Liga Sul-Minas-Rio e tentam, de qualquer forma, abalar o prestígio do idealizador do torneio, o presidente da Federação Catarinense, Delfim Peixoto.

 

Delfim, decidido como sempre, já afirmou: "a Liga Sul-Minas-Rio" será disputada de qualquer forma. E se a CBF não disponibilizar seu quadro de árbitros, a mesma será apitada apenas por árbitros catarinenses.

 

Alexandre Kalil, o gestor da nova liga, também garante que a competição sairá e ainda ironizou a CBF, a qual chamou de "casa do 7 a 1".

 

Parece claro que há uma briga entre o novo jeito de fazer o futebol, protagonizado pelos competentes e organizados Alexandre Kalil e Delfim Peixoto, e aqueles que possuem medo de sair do país e do FBI.