Guilherme Macalossi

25/11/2016 às 18:03

O derretimento do governo Temer

Na edição de hoje, o Confronto, programa que ancoro na Rádio Sonora FM, tratou exclusivamente da crise política em Brasília, com a denúncia envolvendo o Ministro Geddel, as possíveis gravações feitas de falas do presidente Temer e também as discussões no Congresso sobre a chamada "anistia" dos crimes de Caixa 2. O diretor do portal Sul Connection, Eduardo Bisotto, participou comentando.

Confira a íntegra da edição:

24/11/2016 às 17:22

O ataque a honra do Sul Connection e um debate áspero sobre o pacote de Sartori

Transmissão ao vivo do Confronto na Rádio Sonora FM. Destaques da edição de hoje:

Editorial: Buzz Feed coloca Sul Connection em relação de sites que divulgam notícias falsas e menção repercute em diversos outros sites, incluindo uma rede de televisão.

Pauta Principal: Um áspero debate sobre o pacote de cortes estatais proposto pelo governo Sartori no Rio Grande do Sul com o petista Paulo Schneider e o advogado e publicitário Raphael Di Tommaso

Confira a íntegra:





 

24/11/2016 às 16:04

Sartori começa governo com 2 anos de atraso. Ou: É preciso levar a diminuição do estado até as últimas consequências

O governo Sartori finalmente deu sinal de vida, depois de dois anos nas cordas, vítima principalmente de sua falta de iniciativa. Essa semana, integrantes da administração apresentaram um projeto de reforma da estrutura estatal gaúcha, tomada de Fundações, Estatais e órgãos burocráticos que sangram as finanças públicas e custam caro para os pagadores de impostos.

Alguém ai realmente acha que o Rio Grande do Sul precisa de uma gráfica? Ou mesmo de uma televisão que ninguém assiste? Um estado que não tem recursos para aplicar na saúde dos humanos deve despender seus parcos recursos alimentando leões e hipopótamos em um zoológico?

Se existem erros nesse pacote de cortes é que ele não foi apresentado antes e é até modesto em seu alcance. Sim, Sartori deveria tê-lo apresentado bem antes, lá no início do seu mandato. Demorou demais. Felizmente as medidas previstas incluem necessárias privatizações e extinções de companhias públicas, mas por que se limitar as menores e menos valiosas?

Não há a menor razão de manter o Banrisul nas mãos do governo. Ele também precisa ser vendido, assim como a Corsan. O Daer, que virou o retrato de nosso atraso, não tem funcionalidade alguma, a não ser a de existir para não funcionar.

Sim, talvez tudo isso seja exigir demais de uma administração que até aqui se mostrou acovardada, mas não custa lembrar que há muito mais por se fazer. Sartori teve o mérito de reabrir o debate sobre as funções do estado. Agora é preciso levar sua diminuição até as últimas consequências, enfrentando a patrulha do atraso defensora do status quo burocrático que nos legou o inferno fiscal.

Artigo publicado no Jornal Informante

22/11/2016 às 16:25

Relembrando minha entrevista com Yeda

Yeda Crusius é a personagem política mais incompreendida e injustiçada da história recente do Rio Grande do Sul. Nos 4 anos em que governou o estado, colocou as finanças em ordem, produzindo o único resultado positivo nas contas públicas dentre todos os governadores que passaram desde 95.

Por ter pisado nos calos de tantos, e por não ser uma política tradicional, Yeda enfrentou o ódio organizado das milicias do atraso, o jornalismo panfletário e as maquinações políticas de uma oposição radical e verdadeiramente golpista. No fim das contas, ainda que tenha fechado seu mandato com um inédito azul, não conseguiu a reeleição. Seu legado se perdeu na desordem e na irresponsabilidade de seu sucessor, Tarso Genro.

Ano passado, conversei com a ex-governadora em meu programa de rádio. Na época, tratamos do caos financeiro do Estado, e da situação herdada por Sartori, que ela definiu como hecatombe. Em meio a esse pacote de medidas urgentes e necessárias tomadas pelo atual governo, fica de bom tom relembrar as palavras da única mandatária do Rio Grande do Sul que enfrentou com sucesso o nosso déficit estrutural.

16/11/2016 às 22:51

Os penduricalhos e supersalários escandalosos do funcionalismo público

Transmissão ao vivo do Confronto. Destaques da edição:

- A prisão de Anthony Garotinho no desdobramento da operação Chequinho

- Editorial: Supersalários e penduricalhos para castas dentro do funcionalismo público são uma ofensa a sociedade brasileira e aos pagadores de impostos. Guilherme Macalossi comenta sobre o valo pago a funcionários do Executivo gaúcho, e do que a Lei da Magistratura dará aos juízes.

Nota: O programa receberia o Dep. Pepe Vargas, do PT, que falaria sobre a PEC 241. Durante a condução do programa, não houve sucesso em contatar a assessoria do parlamentar

Confira a íntegra:

Guilherme Macalossi é formado em direito pela UCS e estuda jornalismo na Unisinos. Além de editor do portal Sul Connection é apresentador do programa Confronto, na Rádio Sonora FM. Escreve para jornais locais, além de ser articulista do Instituto Liberal do Rio de Janeiro. É colaborador da agência Critério, Inteligência em Conteúdo.