Guilherme Macalossi

18/05/2017 às 02:38

Toda a hipocrisia petista no caso JBS/Temer

Sim, o país vive uma crise interminável, e isso jamais poderia ser motivo de sorriso para alguém. Mas não chega a ser cômica o flagrante descaramento dos petistas com o episódio das denúncias do dono da JBS contra Michel Temer? Tudo o que antes não valia para Dilma, passou a valer agora que o Presidente é outro.

Se confirmadas as informações publicadas pelo jornal O Globo, Michel Temer terá sido gravado, assim como Dilma acabou sendo quando Lula era investigado pela Lava Jato. Quando Sérgio Moro autorizou a quebra do sigilo das escutas, e tivemos o famoso episódio do Bessias, o misterioso assessor que entregaria ao ex-presidente o termo de posse como Ministro da Casa Civil, o que se ouviu foi uma gritaria generalizada, inclusive da então mandatária. 

Vejam as palavras de Dilma na sessão em que tentou empossar Lula:



Não foi a única vez em que ela tratou do assunto. Confiram outro momento:



Agora as "prerrogativas da Presidência" parecem colocadas em segudo plano por aqueles que até ontem as utilizavam para salvaguardar uma ação que tinha o claro objetivo de obstruir a justiça. Era o que Dilma e Lula tinham feito. Na época, havia o temor de que Lula acabasse preso em alguma operação da Lava Jato. O cargo lhe daria perrogativa de foro, e a proteção contra mandados da primeira instância.

"Grampo na Presidência da República ou em qualquer um de vocês, não é algo lícito". Eis ai palavras de Dilma. Por que os petistas tratavam a coisa como algo "ilícito" no passado e lícito agora? É o velho relativismo moral que acompanha os luminares da sigla.

Também foi para o vinagre a narrativa de que a Rede Globo seria o pináculo de sustentação do atual governo. A denúncia que tocou fogo no país foi divulgada em primeira mão pelo jornal O Globo, veículo mais antigo do grupo. Haja contorcionismo retórico para justificar esse episódio.

Mal as denúncias vieram ao público, vagabundos se acumularam nas ruas e na frente do Palácio do Planalto para exigir de Temer a renúncia que jamais cobraram de Dilma. Ao mesmo tempo, no Congresso Nacional, todos aqueles parlamentares que repetidamente condenaram o Impeachment e o chamaram de "golpe legislativo", se pronunciaram em favor de um pedido de impeachment.

A crise política sem precedentes só rivaliza com o espetáculo de impostura, mendacidade e dissimulação também sem precedentes protagonizado pelos petistas.

 

Guilherme Macalossi é formado em direito pela UCS e estuda jornalismo na Unisinos. Além de editor do portal Sul Connection é apresentador do programa Confronto, na Rádio Sonora FM. Escreve para jornais locais, além de ser articulista do Instituto Liberal do Rio de Janeiro. É colaborador da agência Critério, Inteligência em Conteúdo, localizada em Porto Alegre.